Flurona: o que é, sintomas, exames e o que fazer

"Flurona" é um termo popular utilizado para descrever o caso de pessoas que apresentam COVID-19 e gripe ao mesmo tempo, em que "flu" se refere ao vírus da gripe (Influenza) e "rona" se refere ao coronavírus. Como consequência de haver dois tipos de vírus, é possível que a pessoa apresente ao mesmo tempo, em alguns casos, sinais e sintomas das duas doenças.

A infecção por dois vírus não é uma situação rara de acontecer, principalmente em períodos em que existe em circulação doenças de transmissão fácil e com elevados número de casos, como é o caso da COVID-19 e da gripe.

Apesar de se ter duas infecções ao mesmo tempo, isso não significa, necessariamente, que é uma situação mais grave. Ainda assim, é importante ter todos os cuidados para evitar transmitir os vírus para outras pessoas, sendo recomendado permanecer em isolamento por, pelo menos, 7 dias, ou de acordo com a orientação médica.

Flurona: o que é, sintomas, exames e o que fazer

Sintomas de "flurona"

Os principais sinais e sintomas relatados de "flurona" são:

  • Febre;
  • Tosse;
  • Respiração mais rápida e curta;
  • Falta de ar;
  • Dor muscular;
  • Dor de cabeça;
  • Dor ao engolir;
  • Nariz entupido.

Na presença desses sinais e sintomas, é importante consultar um clínico geral, para que sejam feitos exames e se possa verificar se os sintomas são indicativos de COVID-19, Influenza ou "flurona".

Faça o nosso teste online de COVID-19 e de H3N2 para saber o risco de estar com essas doenças.

O que fazer em caso de suspeita

Em caso de suspeita de "flurona", é recomendado seguir as orientações da Secretaria de Saúde do Estado ou Município, que pode indicar a realização de teleconsulta, em que é feita a avaliação dos sinais e sintomas, à distância, e o encaminhamento para a realização de exame específico para COVID-19, Influenza ou o painel viral.

Além disso, é recomendado que a pessoa fique em isolamento por até 14 dias, ou de acordo com a orientação do médico, para evitar a transmissão do vírus para outras pessoas. Nos casos mais leves, o médico pode recomendar que a pessoa fique de repouso, beba bastante líquidos e tenha uma alimentação leve, podendo ser também recomendado o uso de medicamentos analgésicos para aliviar os sintomas. Por outro lado, nos casos mais graves, o médico pode recomendar tratamento com medicamentos mais específicos, incluindo antivirais, para promover a recuperação mais rápida.

É também importante fazer uso de máscaras faciais, higienizar e lavar as mãos regularmente e evitar ambientes com maior concentração de pessoas e pouca circulação de ar, assim como tomar a vacina contra a COVID-19 e contra a gripe, pois assim é possível aumentar a proteção contra esses vírus, prevenindo o desenvolvimento de infecções mais graves.

Exames que confirmam o diagnóstico

Para confirmar o "flurona", ou seja, a infecção simultânea de COVID-19 e gripe, é importante fazer exames laboratoriais que permitam identificar a presença, ou não, desses vírus no organismo. Um dos exames mais utilizados é a coleta de secreção nasofaríngea, que depois é analisada em laboratório através de técnicas como o PCR, para identificar a presença dos vírus.

Em alguns casos, o médico pode até pedir um exame de "painel viral" em que a amostra de secreção nasofaríngea é testada ao mesmo tempo para vários tipos de vírus, como coronavírus, Influenza, adenovírus, bocavírus, enterovírus e vírus sincicial respiratório, por exemplo.

Além disso, podem ainda ser realizados exames de sangue, para identificar alterações que sejam indicativas de infecção, como aumento da proteína C reativa, D-dímero, interleucina-6 e de leucócitos, assim como diminuição da quantidade de linfócitos circulantes. Dependendo da intensidade dos sintomas, o médico pode também solicitar a realização de exames de imagem, principalmente o raio X de tórax.

O que significa coinfecção e co-detecção?

A co-detecção corresponde à detecção no mesmo exame de mais de uma agente infeccioso, no entanto essa identificação não necessariamente indica que a pessoa vai apresentar sinais e sintomas das doenças causadas por esses agentes infecciosos. Por outro lado, a coinfecção é quando a pessoa apresentar sinais e sintomas de mais de uma doença ao mesmo tempo, havendo também a detecção no exame de mais de um agente infeccioso.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • İSLAMOĞLU, Mehmet S.; Betül BORKU UYSAL, Betul. Influenza and SARS-CoV-2 coinfection during the COVID-19 pandemic. Turk Hij Den Biyol Derg. Vol 78. 3 ed; 373-378, 2021
  • ALOSAIMI, Bandar; NAEEM, Asif; HAMED, Maaweya et al. Infuenza co-infection associated with severity and mortality in COVID-19 patients. Virol J. Vol 18. 127 ed; 2021
  • DADASHI, Masoud; KHALEGHNEJAD, Saeedeh; ELKHICHI, Parisa A. et al. COVID-19 and Influenza Co-infection: A Systematic Review and Meta-Analysis. Front. Med. Vol 8. 2021
  • VARGAS-PONCE, Kenneth G.; SALAS-LOPEZ, Juan A.; LLANOS-TEJADA, Félix K.; MORALES-AVALOS, Antonio. Influenza and COVID-19 co-infection: report of five cases in a Peruvian Hospital. Rev. Fac. Med. Hum. Vol 20. 4 ed; 738-742, 2020
Mais sobre este assunto: