Desenvolvimento do bebê - 39 semanas de gestação

Semana de gestação: 39 semanas

Equivale ao mês: 4ª semana do 9º mês

Equivale aos dias: 267 a 274 dias de gestação

Na 39ª semana de gestação, os órgãos do bebê estão completamente formados, mas os pulmões e o cérebro continuam a se desenvolver. O sistema imune do bebê está mais forte, à medida que os anticorpos da mulher são transferidos através da placenta, o que ajudará o bebê a se proteger de doenças e infecções.

Nesta fase da gestação, o bebê está mais gordinho, com uma camada saudável de gordura sobre a pele, e as unhas dos pés já chegam até as pontas dos dedos.

Durante essa semana, a mulher pode continuar a ter os sintomas de contrações de Braxton-Hicks, corrimento vaginal ou cansaço excessivo. Além disso, algumas mulheres podem se sentir ansiosas com a proximidade do parto.

A partir da 39ª semana da gestação e até a 40ª semana e 6 dias, o nascimento do bebê é considerado um parto a termo.

Desenvolvimento do bebê - 39 semanas de gestação

Desenvolvimento do bebê

Na 39ª semana da gestação, os órgãos do bebê estão completamente formados e capazes de funcionar normalmente fora do útero, no entanto, o cérebro e os pulmões continuam a se desenvolver.

O sistema imune está mais forte à medida que os anticorpos da mulher passam para o bebê através da placenta, o que ocorre desde a 13ª semana da gestação, no entanto, a maioria dos anticorpos são transferidos para o bebê nas últimas semanas da gravidez. Esses anticorpos são importantes para ajudar o bebê a se proteger de doenças e infecções.

Nesta semana da gestação, o bebê está mais gordinho, com uma camada saudável de gordura, e a sua pele é macia. As unhas dos pés já chegam às pontas dos dedos e a quantidade de cabelo que possui varia de bebê para bebê. Enquanto alguns nascem com muito cabelo, outros nascem carecas ou com pouco cabelo.

Tamanho e peso do bebê

O tamanho do feto com 39 semanas de gestação é de cerca de 50.5 centímetros medidos da cabeça aos pés e cerca de 35.4 centímetros da cabeça ao bumbum, sendo equivalente ao tamanho de uma melancia. O peso do bebê nessa semana é cerca de 3,4 Kg.

Mudanças no corpo da mulher

Na 39ª semana de gravidez, é provável que o bebê esteja na posição do nascimento, de cabeça para baixo, exercendo pressão sobre o colo do útero, o que permite que o colo do útero amoleça, encurte e fique mais fino, preparando para o futuro parto. Para algumas mulheres, esse amolecimento e encurtamento do colo do útero, ocorrem lentamente e de forma contínua, mas para outras mulheres pode ocorrer de forma muito rápida durante o trabalho de parto.

Nesta semana da gestação, a mulher pode apresentar corrimento vaginal com pontinhos de sangue, chamado tampão mucoso, que tem uma consistência gelatinosa e a cor pode variar desde transparente até o marrom avermelhado. A saída do tampão mucoso é considerada normal e a sua saída pode indicar que o parto está mais próximo. Entenda melhor o que é o tampão mucoso e como identificar os sinais do parto.

Além disso, a mulher pode ter sintomas como contrações de Braxton-Hicks, diarréia e cansaço excessivo. Além disso, algumas mulheres podem se sentir ansiosas devido a proximidade do parto.

Cuidados durante a 39ª semana

Na 39ª semana da gestação, alguns cuidados são importantes para ajudar a aliviar os desconfortos que podem surgir como:

  • Corrimento vaginal (tampão mucoso): embora perder o tampão mucoso seja um sinal de que o corpo está se preparando para o trabalho de parto, isso não indica necessariamente que o parto está chegando, podendo demorar horas ou dias para ocorrer, mas deve-se sempre comunicar ao médico quando apresentar esse tipo de corrimento vaginal. No caso do sangramento ser intenso, a mulher apresentar contrações frequentes e regulares, rompimento da bolsa amniótica, ou diminuição ou ausência de movimentos fetais, deve-se entrar em contato com o médico imediatamente e ir ao hospital mais próximo. Saiba identificar os sinais de trabalho de parto;
  • Contrações de Braxton-Hicks: beber um copo de água, fazer exercícios de relaxamento ou de respiração profunda, ou tomar um banho morno por até 30 minutos, podem ajudar a aliviar o desconforto das contrações. Além disso, é recomendado movimentar o corpo, mudando de posição, fazendo uma leve caminhada, ou descansar se a mulher estava muito ativa quando as contrações iniciaram. No entanto se a contração for forte, muito frequente ou acompanhada de outros sintomas como dor nas costas, sangramento vaginal ou corrimento líquido, deve-se procurar ajuda médica imediatamente, pois a mulher pode ter entrado em trabalho de parto;
  • Diarréia: beber pelo menos 8 copos de água por dia para manter o corpo hidratado, dar preferência para alimentos cozidos ou grelhados como arroz com cenoura ou frango, frutas cozidas e sem casca como, maçã, pera ou banana. Além disso, deve-se evitar comer frituras, alimentos gordurosos e comidas muito condimentadas. No entanto, se a diarréia for intensa, ou se existirem outros sintomas como vômitos intensos e febre, deve-se entrar em contato com o médico imediatamente e ir ao hospital mais próximo;
  • Cansaço excessivo: descansar durante o dia, se possível, ir para a cama um pouco mais cedo à noite, podem ajudar a diminuir o cansaço e aumentar a disposição;
  • Ansiedade: dormir e descansar um pouco, buscar formas de relaxar, como fazer meditação, yoga, exercícios respiratórios ou escutar uma música relaxante, podem ajudar a reduzir a ansiedade.

Durante toda a gestação, é importante seguir as recomendações médicas, realizar as consultas pré-natais, e continuar tomando o ácido fólico ou suplementos e fazer atividades físicas recomendados pelo obstetra, pois permitem controlar melhor o peso, melhorar a qualidade do sono e fortalecer a musculatura.

Além disso, deve-se beber pelo menos 8 copos de água por dia e fazer uma alimentação nutritiva e balanceada, incluindo frutas, verduras e legumes frescos, para garantir o fornecimento de nutrientes essenciais para o desenvolvimento do bebê e ajudar a controlar o aumento do peso durante a gravidez. Veja como deve ser a alimentação na gravidez.

Principais exames

Na 39ª semana da gestação, a mulher deve fazer outra consulta pré-natal para que o obstetra possa avaliar a pressão arterial da mulher, o peso, a altura do útero, a posição do bebê, os batimentos cardíacos e movimentos do feto, por exemplo. Entenda melhor como é feito o pré-natal.

Confirme em que mês da gravidez está inserindo aqui os seus dados:

Erro
help
Imagem que indica que o site está carregando

Sua gravidez por trimestre

Para facilitar a sua vida e você não perder tempo procurando, separamos toda a informação que você precisa por cada trimestre de gestação. Em que trimestre você está?

Esta informação foi útil?
Atualizado por Flávia Costa, Farmacêutica em Janeiro de 2022. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias, Ginecologista em Fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • KISERUD, T.; et al. The World Health Organization Fetal Growth Charts: A multinational longitudinal study of ultrasound biometric measurements and estimated fetal weight. PLoS Med. 14. 3; e1002284, 2017
  • NOTT, J. P.; et al. The structure and function of the cervix during pregnancy. Translational Research in Anatomy. 2. 1-7, 2016
  • LACROIX, G.; et al. The Cervicovaginal Mucus Barrier. Int J Mol Sci. 21. 21; 8266, 2020
  • KISERUD, T.; et al. The World Health Organization Fetal Growth Charts: A multinational longitudinal study of ultrasound biometric measurements and estimated fetal weight. PLoS Med. 14. 3; e1002284, 2017
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Caderneta da gestante. 2016. Disponível em: <https://www.mds.gov.br/webarquivos/arquivo/crianca_feliz/Treinamento_Multiplicadores_Coordenadores/Caderneta-Gest-Internet(1).pdf>. Acesso em 27 Set 2021
  • TOIJONEN, A. E.; et al. A comparison of risk factors for breech presentation in preterm and term labor: A nationwide, population-based case-control study. Arch Gynecol Obstet. 301. 1; 393-403, 2020
  • BODY, C.; CHRISTIE, J. A. Gastrointestinal diseases in pregnancy: Nausea, vomiting, hyperemesis gravidarum, gastroesophageal reflux disease, constipation, and diarrhea. Gastroenterol Clin North Am. 45. 2; 267-83, 2016
  • PARDI, Giorgio; CETIN, Irene. Human fetal growth and organ development: 50 years of discoveries. American Journal of Obstetrics and Gynecology. 194. 1088–1099, 2006
  • MICHIGAN MEDICINE. UNIVERSITY OF MICHIGAN. Cervical Effacement and Dilatation. 2019. Disponível em: <https://www.uofmhealth.org/health-library/zx3441>. Acesso em 27 Set 2021
  • NOTT, J. P.; et al. The structure and function of the cervix during pregnancy. Translational Research in Anatomy. 2. 1-7, 2016
  • STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Braxton Hicks Contractions. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29262073/>. Acesso em 27 Set 2021
  • American College of Obstetricians and Gynecologists. Definition of term pregnancy. Committee Opinion No. 579. Obstet Gynecol. 122. 1139–40, 2013
  • THE AMERICAN COLLEGE OF OBSTETRICIANS AND GYNECOLOGISTS. How Your Fetus Grows During Pregnancy. 2021. Disponível em: <https://www.acog.org/womens-health/faqs/how-your-fetus-grows-during-pregnancy?utm_source=redirect&utm_medium=web&utm_campaign=int>. Acesso em 27 Set 2021
  • THE AMERICAN COLLEGE OF OBSTETRICIANS AND GYNECOLOGISTS. How Your Fetus Grows During Pregnancy. 2021. Disponível em: <https://www.acog.org/womens-health/faqs/how-your-fetus-grows-during-pregnancy?utm_source=redirect&utm_medium=web&utm_campaign=int>. Acesso em 27 Set 2021
  • PALMEIRA, P.; et al. IgG placental transfer in healthy and pathological pregnancies. Clin Dev Immunol. 2012. 985646, 2012
Mais sobre este assunto: