1 trimestre de gravidez: sintomas, cuidados e exames

O 1º trimestre de gravidez, corresponde aos 3 primeiros meses e às semanas 1 a 13 da gestação, é marcado pelo desenvolvimento do bebê em que ocorre rápida multiplicação das células do embrião e formação dos principais órgãos, além da placenta e do cordão umbilical, sendo considerada a fase mais delicada da gravidez, pois substâncias como remédios, álcool ou cigarro, podem afetar o desenvolvimento do bebê.

Durante o primeiro trimestre, ocorrem também muitas alterações hormonais na mulher, que são consideradas normais na gestação, podendo levar ao surgimento de alguns sintomas como enjoo matinal, cansaço excessivo ou sensibilidade nos seios, por exemplo.

Durante o 1º trimestre de gravidez, deve-se fazer a primeira consulta pré-natal e os exames recomendados pelo obstetra, como exames de sangue, urina, fezes e o primeiro ultrassom obstétrico, para que o médico possa avaliar a saúde da mulher e o desenvolvimento do bebê, além de dar orientações sobre o uso de suplementos vitamínicos e medidas que ajudem a aliviar os sintomas do primeiro trimestre da gestação.  

1 trimestre de gravidez: sintomas, cuidados e exames

Desenvolvimento do bebê

O desenvolvimento do bebê no 1º trimestre da gravidez é marcado principalmente pela multiplicação acelerada de células do embrião e formação dos principais órgãos, como coração, pulmões, fígado, intestino, rins, ossos e cartilagens, assim como os neurônios e os pequenos botões que darão origem aos braços e pernas.

Devido a rápida multiplicação de células do embrião, o primeiro trimestre é considerado o mais delicado, pois algumas substâncias como remédios, plantas medicinais, álcool ou cigarro podem interferir no desenvolvimento do bebê, podendo causar malformações. 

Ao final do primeiro trimestre, o bebê mede cerca de 7,4 centímetros e a placenta e o cordão umbilical estão completamente formados, e serão responsáveis por levar os nutrientes e o oxigênio necessários para o amadurecimento de todos os órgãos do bebê, que vão continuar a se desenvolver até o final da gestação. 

Mudanças no corpo da mulher

No início do primeiro trimestre da gravidez, o corpo da mulher produz o hormônio beta-HCG, além de outros hormônios como progesterona e estrógeno, que permitem criar condições do bebê se desenvolver dentro do útero. Essas alterações hormonais podem levar ao surgimento dos primeiros sintomas da gravidez como enjôos matinais, cansaço excessivo ou sensibilidade nos seios, que muitas vezes podem ser confundidos com sintomas da TPM. Saiba diferenciar os sintomas de gravidez e TPM

Além disso, a mulher pode sentir dor na pelve pois as alterações hormonais normais da gravidez causam afrouxamento dos ligamentos da pelve para acomodar o bebê, além de outros sintomas como azia, sensação de queimação no estômago, sensibilidade nas gengivas ou vontade de urinar com frequência. Confira todas as mudanças no corpo da mulher semana a semana no primeiro trimestre da gravidez

Cuidados no 1º trimestre de gravidez

O primeiro trimestre da gravidez é o período mais delicado do desenvolvimento do bebê, sendo importante seguir todas as recomendações do obstetra, tomar o ácido fólico e/ou outros suplementos indicados pelo médico, além de fazer uma alimentação balanceada que forneça todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento do bebê e praticar atividades físicas, desde que liberadas pelo médico. Saiba como deve ser a alimentação na gravidez

Além disso, é importante que a mulher esteja atenta ao uso de medicamentos, evitando o uso por conta própria e utilizar somente os remédios ou tomar vacinas com recomendação médica, pois nesta fase os braços, pernas e órgãos do embrião em formação, são muito sensíveis a certos medicamentos que podem atravessar a placenta e causar defeitos no bebê.  

Durante toda a gravidez também é importante evitar o consumo de bebidas alcoólicas,  cigarro ou drogas de abuso, pois podem prejudicar o desenvolvimento do bebê.

Como aliviar os sintomas do 1º trimestre

No primeiro trimestre da gravidez alguns cuidados são importantes para ajudar a aliviar os desconfortos que podem surgir como:

  • Enjoo matinal: comer pequenas refeições com frequência ao longo do dia e manter-se hidratada. Se os enjoos forem muito intensos, o médico poderá receitar o uso de remédio para enjoos durante a gravidez. Saiba como é o tratamento dos enjoos intensos na gravidez;
  • Cansaço excessivo: criar uma rotina de dormir e acordar na mesma hora todos os dias ou dormir um pouco durante o dia podem ajudar a diminuir o cansaço e aumentar a disposição;
  • Sensibilidade nos seios: usar um sutiã de sustentação para aliviar a sensibilidade, dor ou sensação de mamas pesadas. Este sutiã também ser utilizado à noite para dar um suporte às mamas e aliviar esse desconforto;
  • Dor na pelve: fazer alongamentos leves e movimentos suaves podem ajudar a aliviar o desconforto. No entanto, se a dor não melhorar, ou se tiver febre, deve-se entrar em contato com o médico imediatamente;
  • Azia ou sensação de queimação no estômago: comer em pequenas quantidades e não deitar após as refeições podem ajudar a aliviar esse desconforto. Outra medida importante é evitar beber líquidos durante as refeições e evitar comer frituras, comidas apimentadas ou muito condimentadas. Veja outras dicas de como aliviar a azia na gravidez;
  • Sensibilidade nas gengivas: deve-se usar uma escova de dentes macia e continuar escovando os dentes e passando o fio dental regularmente. Além disso, é recomendado consultar o dentista para avaliar a saúde da boca e dos dentes;
  • Vontade de urinar frequentemente: não prender a urina, pois deixar a urina retida na bexiga pode aumentar o risco de infecção urinária.

É importante sempre seguir as orientações do obstetra, de acordo com os sintomas apresentados, de forma a garantir a saúde da mulher e permitir o desenvolvimento saudável do bebê. 

Principais exames do 1º trimestre 

Assim que a gravidez for confirmada, deve-se marcar uma consulta com o obstetra até a semana 13 de gestação para confirmar a fase da gestação e esclarecer dúvidas como data provável de nascimento do bebê e os cuidados durante a gestação.

No 1º trimestre da gestação, o acompanhamento pré-natal é feito por meio de exames que avaliam e monitoram o desenvolvimento do bebê e a saúde da mulher, além de verificar se há risco da mãe passar alguma doença para o bebê.

Os principais exames solicitados pelo obstetra no 1º trimestre de gravidez incluem:

1. Exame ginecológico

O exame ginecológico do 1º trimestre de gravidez é feito com o objetivo de avaliar a região íntima da mulher e, assim, identificar sinais de infecção ou inflamação na região genital, isso por que algumas situações como candidíase, inflamações vaginais e câncer de colo do útero, por exemplo, quando não identificadas e tratadas podem influenciar no desenvolvimento do bebê.

2. Exames de rotina

Em todas as consultas de acompanhamento, o obstetra pode realizar alguns exames mais gerais para avaliar a saúde da mulher. Assim, é comum que seja feita a medição da pressão arterial com o objetivo de avaliar o risco de eclâmpsia, o que pode levar à antecipação do parto, além de também ser feita a avaliação do peso da mulher.

Outro exame de rotina que é normalmente feito é a verificação da altura uterina, em que é feita a medição da região abdominal com o objetivo de avaliar o crescimento do bebê.

3. Exames laboratoriais

Alguns exames laboratoriais podem ser recomendados pelo obstetra no 1º trimestre de gravidez, sendo eles:

  • Hemograma completo;
  • Tipo sanguíneo, fator Rh e teste de Coombs indireto;   
  • VDRL;
  • HIV;
  • Hepatite B e C;
  • Tireoide, como TSH, T3 e T4;
  • Glicose;
  • Toxoplasmose;
  • Rubéola;
  • Citomegalovírus ou CMV;;
  • Urina tipo 1 ou EAS, e urocultura;
  • Fezes.

Além disso, durante o pré-natal também podem ser feitos exames para identificar outras infecções sexualmente transmissíveis como gonorreia e clamídia, que podem ser diagnosticadas por meio do exame das secreções vaginais ou exame de urina. Se houver alguma alteração em algum destes exames, o médico poderá solicitar a repetição do exame no segundo trimestre de gestação. Saiba quais são os exames indicados no segundo trimestre de gravidez.

4. Ultrassom obstétrico

O ultrassom obstétrico do 1º trimestre de gravidez é o transvaginal, que é normalmente realizado entre a 8ª e a 10ª semana de gestação e serve para confirmar a idade gestacional, como o embrião está se desenvolvendo, se está no lugar correto dentro do útero, se a gravidez é de um ou mais bebês, além de  verificar a frequência cardíaca do bebê e permitir calcular a data prevista do parto. 

5. Translucência nucal

O ultrassom de translucência nucal é feito entre 11 e 14 semanas da gestação, e serve para detectar malformações e doenças genéticas, como a síndrome de Down, por exemplo. Saiba como é feito o exame de translucência nucal

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • PARDI, Giorgio; CETIN, Irene. Human fetal growth and organ development: 50 years of discoveries. American Journal of Obstetrics and Gynecology. 194. 1088–1099, 2006
  • KAMAI, Elizabeth M.; MCELRATH, Thomas F.; FERGUSON, Kelly K. Fetal growth in environmental epidemiology: mechanisms, limitations, and a review of associations with biomarkers of non-persistent chemical exposures during pregnancy. Environmental Health volume 18, Article number: 43 (2019) . 18. 43; 1-30, 2019
  • S.C. DEPARTMENT OF HEALTH AND ENVIRONMENTAL CONTROL. Embryonic Fetal Development. 2015. Disponível em: <https://scdhec.gov/sites/default/files/Library/ML-017049.pdf>. Acesso em 18 Nov 2021
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Caderneta da gestante. 2016. Disponível em: <https://www.mds.gov.br/webarquivos/arquivo/crianca_feliz/Treinamento_Multiplicadores_Coordenadores/Caderneta-Gest-Internet(1).pdf>. Acesso em 18 Nov 2021
  • SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE - GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS. Pré-Natal. 2019. Disponível em: <https://www.saude.go.gov.br/biblioteca/7637-pr%C3%A9-natal>. Acesso em 18 Nov 2021
  • DOMINGUEZ-BELLO, M. G.; et al. Role of the microbiome in human development. Gut. 68. 6; 1108-1114, 2019
  • BLOTT, Maggie. A sua gravidez dia a dia. DK, 2009. 272 -279.
  • NAPOLITANO, R. Pregnancy dating by fetal crown–rump length: a systematic review of charts. Royal College of Obstetricians and Gynaecologists. 121. 5; 556-665, 2014
  • GENG, Xin; OLIVER, Guillermo. Elucidating the molecular characteristics of organogenesis in human embryos. Genome Biology. 11. 130; 2010
  • KISERUD, T.; et al. The World Health Organization Fetal Growth Charts: A multinational longitudinal study of ultrasound biometric measurements and estimated fetal weight. PLoS Med. 14. 3; e1002284, 2017
  • MONTAGNANA, Martina; et al. Human chorionic gonadotropin in pregnancy diagnostics. Clin Chim Acta. 412. 17-18; 1515-1520, 2011
Mais sobre este assunto: