O que comer durante a gastroenterite

Durante a gastroenterite é importante priorizar uma dieta com fibras de fácil digestão, como a presente em alimentos como arroz branco, pão branco, macarrão branco e frutas sem casca. Além disso, deve-se optar por proteínas com baixo teor de gordura, como peixes, ovos, tofu e frango sem pele.

Além disso, durante a gastroenterite é importante evitar alimentos que podem causar irritação no estômago ou intestino, como café, pimenta ou curry, sendo indicado preparar as refeições da forma mais simples possível.

A gastroenterite é uma infecção no estômago ou intestino que pode ser causada pela ingestão de alimentos contaminados, provocando sintomas como dor abdominal, diarreia e vômitos. Por isso, é importante aumentar o consumo de água durante o dia, para evitar uma possível desidratação. Entenda melhor o que é e como tratar a gastroenterite.

O que comer durante a gastroenterite

Alimentos permitidos

Nos primeiros dias da gastroenterite é normal não sentir muita fome, sendo necessário beber bastante água, para manter a hidratação. No entanto, à medida que os sintomas melhoram, é importante reintroduzir gradativamente os alimentos que são de fácil digestão na dieta, para controlar os sintomas e ajudar na recuperação da infecção, incluindo:

  • Frutas sem casca, como maçã, pera, banana prata, pêssego, abacaxi, caju, goiaba, maracujá, melão ou limão;
  • Vegetais, cozidos e sem casca, como cenoura, beterraba, chuchu, abobrinha, berinjela, tomate ou vagem;
  • Cereais com fibras de fácil digestão, como arroz branco, macarrão branco, pão branco ou tapioca;
  • Tubérculos, como batata, batata doce, batata baroa, cará, inhame ou aipim;
  • Proteínas magras, como frango sem pele, peixes brancos sem pele, ovos, tofu ou peru sem pele;
  • Chás sem cafeína, como camomila, alfazema, cidreira ou alecrim.

Além disso, para evitar a desidratação é importante aumentar a ingestão de água, incluindo chás sem cafeína e água de coco, pois é possível perder muita água durante as crises de diarreia ou vômitos.

Por ser comum não sentir fome ou apresentar alguns sintomas como enjoo ou vômito, é recomendado também diminuir o volume das refeições, fracionando-as em 5 a 6 refeições ao longo do dia.

Cardápio da dieta para gastroenterite

A tabela a seguir traz o exemplo de um cardápio de 3 dias para tratar uma crise de gastroenterite:

Refeição

Dia 1

Dia 2

Dia 3

Café da Manhã

1 xícara de chá de camomila + 2 torradas de pão branco com 1 ovo mexido + 1 goiaba s/ casca

200 ml de leite de arroz + 1 tapioca pequena + 1  banana prata

1 iogurte de soja s/ açúcar + 1 pão francês branco + 1 ovo mexido

Lanche da manhã

1 maçã s/ casca cozida

1 pêssego s/ casca

1 caju fresco s/ casca 

Almoço

1 filé de frango s/ pele grelhado + 2 col sopa de abobrinha e berinjela cozidas + 2 col arroz branco + 1 fatia pequena de melão

2 col sopa de purê de batata + 1 filé de peixe branco grelhado + 2 col sopa de ensopado de tomate, vagem e chuchu

1 pires de macarrão branco com molho de tomate caseiro + 1 berinjela pequena recheada com tofu e assada + 1 fatia pequena de abacaxi

Lanche da Tarde

chá de casca de laranja ou camomila + 2 tortilhas de arroz branco

200 ml de leite de soja + 1 nectarina s/casca

1 maçã s/ casca + 1 xícara de chá de alecrim

Jantar

1 batata doce média cozida + 2 col sopa de beterraba cozida + 1 omelete com 1 ovo

2 col. sopa de purê de batata baroa + 4 fatias de abobrinha assada + 1 filé de frango grelhado

2 col sopa de arroz branco + 2 col sopa de vagem ensopada + 1 filé de peixe branco assado

Ceia

1 xícara de chá de camomila + 1 banana

1 xícara de chá de cidreira + 1 pera s/ casca

1 xícara de chá de alfazema + 1 goiaba s/ casca

Este cardápio é apenas um modelo, que pode variar de acordo com o estado de saúde, o peso atual e as preferências de cada pessoa. Para adaptar melhor a dieta, ir a uma consulta com um nutricionista pode ser uma boa opção para avaliar as necessidades individuais e planejar um cardápio personalizado.

Alimentos que devem ser evitados

Os alimentos que devem ser evitados durante a gastroenterite são aqueles com lactose, com fibras de difícil digestão e gordurosos, e que estimulam o trânsito intestinal, como:

  • Alimentos com cafeína, como café, refrigerantes de cola, chocolate e chás verde, preto e mate;
  • Alimentos com alto teor de gordura, como frituras, sorvetes, pizza e salgadinhos de pacote e refeições do tipo fast food;
  • Alimentos que aumentam a produção de gases, como feijão, lentilha, brócolis e repolho;
  • Vegetais crus e folhosos, como alface, rúcula, espinafre, bertalha e acelga;
  • Cereais ricos em fibras de difícil digestão, como pão integral, macarrão integral ou biscoito integral;
  • Suco de frutas e frutas com casca; 
  • Frutas laxantes, como mamão, ameixa, abacate e figo;
  • Sementes e oleaginosas, como chia e linhaça, castanha, amendoim e nozes;
  • Embutidos, como salsicha, linguiça, presunto, mortadela, salame e bacon.
  • Proteínas com alto teor de gordura, como salmão, sardinha, carne vermelha e carne de porco;
  • Produtos lácteos, como queijos, leite, manteiga, leite condensado, creme de leite e margarina.

Além disso, é importante também evitar temperos picantes, como pimenta, curry e páprica, que irritam o estômago e o intestino, podendo causar vômitos ou diarreia.

Após o tratamento e recuperação da gastroenterite, é fundamental retornar gradativamente a uma dieta completa e balanceada, incluindo alimentos, como leguminosas, frutas com casca, vegetais crus e folhosos e laticínios com baixo teor de gordura, para prevenir a carências de nutrientes importantes para a saúde.

Como manter a hidratação

A gastroenterite pode causar sintomas como diarreia e vômito, podendo levar a desidratação, especialmente em bebês e crianças. Por isso, para manter a hidratação é fundamental beber bastante água, incluindo água de coco ou chás.

Para repor os minerais que podem ser perdidos durante as crises de diarreia, pode ser necessário também ingerir soro caseiro ou sais de reidratação oral. No caso de crianças, deve-se dar a quantidade de soro ou sais de reidratação que tenham vontade de beber. Outra recomendação é oferecer de 1/4 a 1/2 xícara de soro, para crianças com menos de 2 anos, ou de 1/2 a 1 xícara, para crianças com mais de 2 anos.

Em caso de vômitos, é importante começar a reidratação com pouca quantidade, oferecendo 1 colher de chá de soro a cada 10 minutos para bebês pequenos, ou de 1 a 2 colheres de chá a cada 2 a 5 minutos, para crianças maiores. A quantidade de soro oferecida pode ser aumentada gradualmente a cada 15 minutos, garantindo que a criança consegue tolerar bem, sem vomitar.

Já para manter a hidratação em adultos, deve-se beber a mesma quantidade de soro de acordo com o que é perdido nas fezes ou vômitos e de acordo com a sede.

Veja no vídeo a seguir como preparar o soro caseiro:

Esta informação foi útil?
Atualizado por Karla S. Leal, Nutricionista - em Outubro de 2021. Revisão clínica por Tatiana Zanin, Nutricionista - em Outubro de 2021.

Bibliografia

  • MAHAN, L. Kathleen et al. Krause: Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 13.ed. São Paulo: Elsevier Editora, 2013. 613-617.
  • UNIVERSITY HEALTH NETWORK. Dicas Alimentares para Pessoas com Diarreia. 2016. Disponível em: <https://www.uhn.ca/PatientsFamilies/Health_Information/Health_Topics/Documents/Eating_Hints_for_People_with_Diarrhea_Portuguese.pdf>. Acesso em 27 Out 2021
  • DIREÇÃO GERAL DE SAÚDE DE PORTUGAL. Temas da saúde: Diarreia. Disponível em: <https://www.sns24.gov.pt/tema/sintomas/diarreia/#sec-9>. Acesso em 27 Out 2021
  • ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE ATENÇÃO AO DIABETES - ANAD. Fibra solúvel e insolúvel: qual a diferença?. Disponível em: <https://www.anad.org.br/fibra-soluvel-e-insoluvel-qual-e-a-diferenca/>. Acesso em 27 Out 2021
  • WORLD GASTROENTEROLOGY ORGANISATION. Diarreia aguda em adultos e crianças: uma perspectiva mundial . 2012. Disponível em: <https://www.worldgastroenterology.org/UserFiles/file/guidelines/acute-diarrhea-portuguese-2012.pdf>. Acesso em 27 Out 2021
Mais sobre este assunto: