Dieta para H. pylori: o que comer e o que evitar

Na dieta para a infecção por Helicobacter pylori (H. pylori) é importante evitar o consumo de alimentos que estimulam a secreção de suco gástrico, como café, chá preto e refrigerantes de cola, além de evitar alimentos que irritam o estômago, como pimenta e carnes processadas e gordurosas, como bacon e linguiça.

Assim, pode ser indicado pelo nutricionista o consumo de alimentos probióticos e ricos em ômega-3 e 6, além de alimentos de fácil digestão, como legumes e carnes brancas, por exemplo.

A H. pylori é uma bactéria que se aloja no estômago e que normalmente causa gastrite, mas em alguns casos, também pode levar a outros problemas como úlceras, câncer de estômago, anemia, diabetes e gordura no fígado. Assim, na presença de sintomas indicativos de infecção por H. pylori, é importante que o tratamento seja iniciado logo em seguida. Saiba como reconhecer a infecção por H. pylori.

Dieta para H. pylori: o que comer e o que evitar

O que comer no tratamento da H. pylori

A alimentação para combater a bactéria e promover o alívio dos sintomas deve ser indicada por um nutricionista, podendo ser recomendado:

1. Probióticos

Os probióticos estão presentes em alimentos como iogurte e kefir, além de poderem ser encontrados na forma de suplementos em cápsulas ou em pó. Os probióticos são compostos por bactérias benéficas que ajudam a combater a H. Pylori, evitando complicações, como gastrite e úlceras e diminuindo os efeitos colaterais que podem surgir durante o tratamento da doença, como diarreia, prisão de ventre e má digestão.

2. Ômega-3 e ômega-6

O ômega-3 e o ômega-6 são gorduras saudáveis com propriedades anti-inflamatórias que ajudam a reduzir a inflamação no estômago e a impedir o crescimento da H. pylori, ajudando no tratamento da doença. Essas gorduras boas podem ser encontradas em alimentos como óleo de peixe, azeite de oliva, sementes de cenoura e óleo de semente de toranja.

3. Frutas e legumes

Frutas, como mamão, melão, banana e abacate, e legumes, como quiabo, chuchu e abóbora, devem ser consumidos durante o tratamento da H. pylori, pois são de fácil digestão e ajudam a melhorar o funcionamento intestinal.

Algumas frutas, como framboesa, morango, cranberry, amora-preta e mirtilo contêm propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, ajudando a combater o crescimento e o desenvolvimento desta bactéria e por isso podem ser consumidas com moderação.

4. Brócolis, couve-flor e repolho

Esses 3 vegetais, principalmente o brócolis, possuem substâncias chamadas isotiocianatos, antioxidantes que ajudam a combater a H. pylori, reduzindo a proliferação dessa bactéria no estômago. Além disso, esses vegetais são de fácil digestão e ajudam a reduzir o desconforto no estômago que pode surgir durante o tratamento.

5. Carnes brancas e peixes

As carnes brancas, como frango, pato e codorna, e os peixes são de fácil digestão, porque contêm menor teor de gordura, ficando menos tempo no estômago para serem digeridas, evitando a dor e a sensação de estômago muito cheio durante o tratamento.

É importante priorizar as carnes ensopadas e com temperos leves, como louro e sal, para evitar a acidez no estômago. As opções grelhadas ou assadas também são boas opções, podendo ser usado um pouco de azeite e devendo-se evitar as carnes fritas.

Cardápio para tratamento da H. pylori

A tabela a seguir traz o exemplo de um cardápio de 3 dias que pode ser usado durante o tratamento:

Refeição

Dia 1

Dia 2

Dia 3

Café da manhã

1 copo de iogurte natural desnatado  s/ açúcar + 1/2 pão francês integral + 1 ovo mexido

1 copo de vitamina  s/ açúcar com ½ pera e 100 ml de leite de aveia

1 xícara de chá de gengibre  s/ açúcar + 3 tortilhas de milho com guacamole feito com 2 col sopa de abacate picados e 1 pitada de sal

Lanche da manhã

2 fatias de mamão + 1 colher de chá de sementes de chia

1 banana + 7 castanhas de caju

1 copo de suco verde + 2 castanhas do Pará

Almoço / Jantar

3 col de sopa de arroz integral + 2 col de feijão + frango grelhado + 1 pires com brócolis e cenoura cozidos, temperados com 1 col sobremesa de azeite + 1 maçã

3 col sopa de purê de batata + 1/2 posta de peixe branco ensopado + 1 pires de couve flor com vagem cozidos e temperados com 1 col sobremesa de azeite + 1 fatia de melão

2 conchas de sopa de legumes com abóbora, batata,  agrião, cenoura e frango, temperada com 1 col sobremesa de azeite + 1 fatia pequena de melancia

Lanche da tarde

1 copo de vitamina com 100 ml de leite vegetal  s/ açúcar + 1 col sopa de abacate picado

1 copo de iogurte natural desnatado s/ açúcar com 1 col sopa de semente de abóbora

1 xícara de chá de camomila + 1 torrada de pão integral + 1 col sopa de creme de ricota

Durante e após o tratamento, é importante também beber somente água fervida ou filtrada, além de higienizar bem as frutas e legumes antes de consumir, pois a H. pylori também pode estar presente em vegetais crus. Saiba como se pega a H. pylori.

O que não comer durante o tratamento para H. pylori

Durante o tratamento para H. pylori é importante evitar o consumo de alimentos que irritam o estômago ou que estimulam a secreção de suco gástrico, além de alimentos que pioram os sintomas de má digestão e sensação de estômago cheio, por exemplo. Assim, é importante evitar na dieta:

  • Café, chocolate e chá preto, pois contêm cafeína, substância que irrita o estômago, estimulando a produção de ácidos;
  • Refrigerantes e bebidas gaseificadas, pois distendem o estômago e podem causar dor e desconforto;
  • Alimentos ricos em açúcar e farinhas refinadas, como sorvetes, bolos, pão branco, arroz branco e macarrão branco, porque esses alimentos podem aumentar os radicais livres no organismo, favorecendo a inflamação e estimulando o crescimento da H. Pylori;
  • Bebidas alcoólicas, por aumentarem a inflamação no estômago;
  • Pimenta e alimentos condimentados, como mostarda, catchup, maionese, molho inglês, molho de soja, molho de alho e temperos prontos;
  • Menta e hortelã, pois podem irritar o estômago;
  • Alimentos gordurosos, como frituras, queijos amarelos, manteiga, leite integral, sorvete, pizza, hambúrguer, batata frita, porque ficam mais tempo no estômago para serem digeridos, aumentando a produção de ácidos.

É recomendado também evitar o consumo de carnes processadas e alimentos enlatados, pois são ricos em conservantes e aditivos químicos que irritam o estômago e intestino, aumentando a inflamação.

Além disso, os alimentos ácidos como laranja, abacaxi, morango, limão, maracujá e tomate podem causar dor e mal-estar em algumas pessoas, devendo, nesses casos, evitar esses alimentos.

Como aliviar os sintomas desagradáveis do tratamento

O tratamento para combater a H. pylori normalmente dura entre 7 e 14 dias e é feito com o uso de medicamentos como omeprazol e pantoprazol, e antibióticos, como amoxicilina e claritromicina, podendo causar alguns efeitos colaterais, como:

1. Gosto metálico na boca

Aparece logo no início do tratamento e pode piorar com o passar dos dias. Para ajudar a aliviar, pode-se temperar a salada com vinagre e, na hora de escovar os dentes, polvilhar na pasta de dente bicarbonato de sódio. Isso vai ajudar a neutralizar os ácidos da boca e aumentar a produção de saliva, ajudando a diminuir o sabor metálico.

2. Enjoos e dor no estômago

Os enjoos e dores no estômago costumam surgir a partir do segundo dia de tratamento, e para evitá-los é importante beber bastante água, repousar e consumir alimentos de fácil digestão, como iogurte, frutas e vegetais cozidos e queijos brancos.

Para aliviar os enjoos matinais, pode-se tomar chá de gengibre logo ao acordar, além de evitar beber grandes volumes de líquidos de uma vez só. Veja como usar o gengibre para aliviar enjoos.

3. Diarreia

A diarreia normalmente aparece a partir do terceiro dia de tratamento, pois os antibióticos, além de eliminarem a H. pylori, também eliminam bactérias benéficas que protegem o intestino, alterando a flora intestinal.

Para combater a diarreia e repor a flora intestinal, pode-se tomar 1 iogurte natural desnatado ou kefir por dia e consumir alimentos de fácil digestão, como sopas, purês, peixes e carnes brancas. Conheça outras dicas de como tratar a diarreia.

Esta informação foi útil?
Atualizado por Karla S. Leal, Nutricionista - em Janeiro de 2022. Revisão clínica por Tatiana Zanin, Nutricionista - em Janeiro de 2022.

Bibliografia

  • H, Łukasz; IMIELA, Jacek. Diet and Helicobacter pylori infection. Przeglad Gastroenterologiczny. Vo.11. 3.ed; 150–154, 2016
  • FAHEY, W, Jed et al. Dietary Amelioration of Helicobacter Infection. Nutrition Research . Vol.35. 6.ed; 461–473, 2015
  • SHEU, Shew-Meei et al. Higher glucose level can enhance the H. pylori adhesion and virulence related with type IV secretion system in AGS cells. Journal of Biomedical Science. Vol.21. 1.ed; 1-6, 2014
  • SOHOULI, H, Mohammad et al. Association between glycemic index and Helicobacter pylori infection risk among adults: A case-control study. Nutrition. Vol.83. 1-28, 2021
Mais sobre este assunto: