Metformina: para que serve, como tomar e efeitos colaterais

A metformina é um remédio hipoglicemiante oral indicado principalmente para o tratamento da diabetes tipo 2, pois age reduzindo os níveis de açúcar no sangue, para níveis mais próximos do normal, e pode ser utilizada sozinha ou em associação com outros antidiabéticos orais.

Esse remédio também pode ser usado para o tratamento da diabetes tipo 1, síndrome dos ovários policísticos, e em alguns casos de obesidade, devendo sempre ser utilizado com indicação médica, nas doses e pelo tempo de tratamento estabelecidos pelo médico.

A metformina pode ser encontrada em farmácias ou drogarias, na forma de comprimidos de 500 mg, 750 mg ou 850 mg ou 1000 mg, como o nome comercial Glifage, ou com o nome genérico cloridrato de metformina, vendida com receita médica.

Metformina: para que serve, como tomar e efeitos colaterais

Para que serve

A metformina ajuda a reduzir os níveis de açúcar no sangue, sendo indicada para o tratamento de:

  • Diabetes tipo 2;
  • Resistência à insulina;
  • Síndrome dos ovários policísticos.

O tratamento com a metformina pode ser feito com o uso de outros remédios para a diabetes, conforme orientação do médico.

A metformina ajuda a reduzir a resistência à insulina por ser uma substância capaz de melhorar a sensibilidade à insulina, responsável por transportar a glicose para todos os tecidos do corpo. Além disso, a metformina auxilia na proteção vascular, reduzindo lesões ateroscleróticas, ou seja, o acúmulo de gordura nas artérias, e melhorando os valores de gordura no sangue.

A metformina emagrece?

Em estudos clínicos, a metformina foi associada a uma estabilização do peso corporal ou a uma ligeira perda de peso. No entanto, este medicamento não deve ser usado com esta finalidade, a não ser que seja indicado pelo médico, uma vez que pode causar efeitos colaterais.

Como tomar

Os comprimidos de metformina devem ser ingeridos por via oral, durante ou depois de uma refeição, iniciando o tratamento com doses pequenas que podem ser gradualmente aumentadas pelo médico, o que permite reduzir a ocorrência de efeitos colaterais gastrointestinais. 

Os comprimidos devem ser tomados no café da manhã, em caso de dose única diária, no café da manhã e ao jantar, em caso de se tomar duas vezes por dia, e no café da manhã, almoço e jantar, em caso tomar três vezes por dia.

As doses de metformina variam de acordo com a condição a ser tratada e incluem:

1. Diabetes tipo 2

Para adultos com diabetes tipo 2, que não são dependentes de insulina, a metformina pode ser usada isoladamente ou em combinação com outros medicamentos antidiabéticos, como as sulfonilureias. A dose inicial recomendada é de 500 mg, 2 vezes por dia, ou 1 comprimido de 850 mg uma vez ao dia e, se necessário, essa dose pode ser aumentada pelo médico, de acordo com os valores do exame de glicemia sanguínea.

2. Diabetes tipo 1

Para adultos com diabetes tipo 1, que são dependentes de insulina, a metformina e insulina podem ser utilizadas em associação, para se obter um melhor controle da glicemia. A dose inicial da metformina recomendada é de 500 mg ou 850 mg, 2 a 3 vezes por dia, enquanto que a dose de insulina deve ser ajustada com base nos valores da glicemia.

3. Síndrome dos Ovários Policísticos

A dose de metformina geralmente é de 1.000 a 1.500 mg por dia, divididos em 2 ou 3 tomadas. O tratamento deve ser iniciado com uma dose baixa e pode ser aumentada gradualmente pelo médico, a cada semana, até se atingir a dose desejada. Em alguns casos, pode ser necessário o uso de 1 comprimido de 850 mg, 2 a 3 vezes ao dia. Para a apresentação de 1000 mg, recomenda-se o uso de 1 a 2 comprimidos ao dia.

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer durante o tratamento com metformina são problemas digestivos como náusea, vômito, diarreia, dor na barriga, perda do apetite ou alterações no paladar.

Quem não deve usar

A metformina não deve ser usada por pessoas com alergia ao cloridrato de metformina ou aos outros componentes da fórmula, com problema de funcionamento do fígado ou dos rins, diabetes não controlada, com hiperglicemia ou cetoacidose graves.

Além disso, a metformina também não deve ser usada por pessoas com desidratação, infecções graves, que estejam fazendo tratamento de problemas cardíacos, tenham sofrido recentemente um ataque cardíaco, problemas circulatórios graves ou dificuldades respiratórias, consumam bebidas alcoólicas em excesso, tenham sido submetidas a cirurgia eletiva de grande porte ou a exame utilizando meio de contraste contendo iodo.

A metformina também não deve ser utilizada por mulheres grávidas, lactantes ou crianças com menos de 10 anos sem orientação médica.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • MEZA, P et al. IDEAL TREATMENT FOR INSULIN RESISTANCE AND PREDIABETES; ¿METFORMIN OR EXERCISE?. Journal of Sport and Health Research . 11. 2; 139-154, 2019
  • SANTOS, João. Metformina: Utilizações para além da diabetes. Trabalho apresentado para obtenção do grau Mestre em Ciências Farmacêuticas, 2018. Universidade Fernando Pessoa.
  • CARRASCO, Fernando et al. Síndrome de resistencia a la insulina. estudio y manejo. Revista Médica Clínica Las Condes. 24. 5; 827-837, 2013
Mais sobre este assunto: