11 benefícios do gengibre para a saúde

O gengibre é uma raiz que contém 6-gingerol e 8-gingerol, compostos bioativos com propriedades termogênicas que aceleram o metabolismo e aumentam a queima de gordura corporal, favorecendo o emagrecimento.

Por ser um potente anti espasmódico, o gengibre ajuda a relaxar os músculos do estômago combatendo má digestão, náuseas e vômitos. Além disso, o gengibre também atua como antioxidante e anti-inflamatório, prevenindo e tratando doenças, como pressão alta, refluxo, artrite.

O gengibre é encontrado em feiras, lojas de produtos naturais e supermercados, podendo ser fresco, desidratado ou em pó e usado em preparações, como chás, sucos, iogurtes, sopas ou saladas. O gengibre também pode ser encontrado na forma de óleo essencial ou de suplementos em cápsulas. Veja como usar o suplemento de gengibre.

11 benefícios do gengibre para a saúde

A seguir estão os principais benefícios do gengibre para a saúde:

1. Auxiliar no emagrecimento

O gengibre contém gingerol, que é um composto bioativo com propriedades termogênicas, que acelera o metabolismo e estimulam a queima de gordura corporal, promovendo o emagrecimento.

Além disso, o gengibre é um potente diurético, estimulando a eliminação do excesso de líquido do corpo e ajudando a desinchar. Veja como usar o gengibre para emagrecer.

2. Combater azia e gases intestinais

O gengibre contém chogaol, gingerol e zingerona, compostos bioativos com propriedades anti inflamatórias, carminativas e antieméticas que relaxam a musculatura do estômago e intestino e diminuem a acidez do estômago, sendo uma boa opção para combater a azia e gases intestinais. Conheça outros remédios caseiros para combater a azia e os gases.

3. Evitar a diabetes

Por conter zingibereno, gingerol e curcumeno, que são compostos fenólicos com potente ação antioxidante, o gengibre ajuda a proteger as células do pâncreas contra os radicais livres, mantendo os níveis adequados de insulina e evitando, assim, a resistência à insulina e a diabetes.

4. Melhorar náuseas e vômitos

O gengibre contém propriedades antieméticas, que aumentam o esvaziamento do estômago, melhorando náuseas e vômitos que podem acontecer durante a gravidez,  ou  em tratamentos de quimioterapia. Veja algumas receitas com o gengibre para combater náuseas.

5. Tratar e prevenir gastrite e refluxo

O gengibre é um potente antioxidante e anti inflamatório que ajuda a combater inflamações no estômago, prevenindo e ajudando no tratamento de gastrite e úlceras.

Além disso, o gengibre também tem propriedades antieméticas, facilitando o esvaziamento do estômago e prevenindo, assim, o refluxo e a má digestão. Conheça outras opções caseiras para tratar o refluxo.

6. Prevenir câncer

Por conter boas quantidades de zingibereno, curcumeno, farneseno e gingerol, compostos bioativos que possuem atividades antioxidantes, o gengibre ajuda a combater o excesso de radicais livres no organismo, impedindo o desenvolvimento e a multiplicação de células cancerígenas.

7. Equilibrar a pressão arterial

O gengibre tem propriedades relaxantes, anti inflamatórias, anti antioxidantes, vasodilatadoras e anticoagulantes, que melhoram a elasticidade e o relaxamento das artérias, facilitando a circulação e ajudando a equilibrar a pressão alta.

Além disso, o gengibre inibe a enzima conversora de angiotensina, uma enzima responsável pela contração dos vasos sanguíneos, evitando o aumento da pressão arterial. Entenda como usar o gengibre para equilibrar a pressão arterial.

8. Combater infecções

Por ter compostos bactericidas e antimicrobianos, o gengibre é uma ótima opção para auxiliar no combate a doenças respiratórias, como gripe, resfriados, asma e bronquite.

O gengibre também auxilia no tratamento de infecções na boca e na garganta, como faringite, amigdalite, periodontite e gengivite.

9. Aliviar dores musculares

O cineol e o borneal são compostos bioativos presentes no gengibre e que têm importante ação analgésica, ajudando a aliviar dores musculares.

O gengibre também tem ação anti-inflamatória e calmante, melhorando os sintomas de dor em pessoas com artrite, reumatismo e artrose.

10. Prevenir doenças cardiovasculares

O gengibre contém compostos anti inflamatórios que inibem a formação de placas de gordura nos vasos sanguíneos, melhorando a circulação sanguínea e prevenindo doenças, como infarto, aterosclerose e derrame.

Além disso, os antioxidantes presentes no gengibre também diminuem o excesso de radicais livres, impedindo a oxidação das células de gordura e auxiliando no controle dos níveis de colesterol e triglicerídeos no sangue.

11. Aliviar a cólica menstrual

O gengibre contém cineol e bornal, que são compostos com efeito analgésico e, por isso, quando consumido um pouco antes ou logo no início do período menstrual, ajuda a aliviar as cólicas. Conheça outras dicas para aliviar as cólicas menstruais.

Como usar o gengibre

O gengibre pode ser usado na forma fresca, desidratada ou em pó, em preparações simples como chá ou ainda pode ser usado em receitas mais elaboradas, como sopas, sucos, iogurtes ou saladas. Além disso, o gengibre também pode ser usado como óleo essencial, em  massagens ou banhos de imersão.

  • Chá de gengibre: o chá de gengibre pode ser preparado colocando 2cm de gengibre fresco em 200 ml de água ou 1 colher de sopa de gengibre em pó em 1 litro de água. Colocar os ingredientes em uma panela e deixar ferver por 15 minutos. Desligar o fogo, tampar a panela e quando estiver morno, coar e beber em seguida;
  • Óleo essencial de gengibre: o óleo essencial de gengibre pode ser usado diluindo de 3 a 5 gotas do óleo essencial em 1 colher de sopa de óleo vegetal (azeite, coco ou amêndoas) e aplicar na pele, massageando para tratamentos de dor muscular ou dores reumáticas.

Outra forma de usar o óleo essencial de gengibre é diluir 15 gotas do óleo em 3 colheres de sopa de leite ou leite vegetal e dissolver a mistura em uma banheira, relaxando por 20 minutos.

Veja no vídeo a seguir mais detalhes sobre como fazer o chá de gengibre, benefícios e a melhora hora para tomar:

Possíveis efeitos colaterais

O consumo excessivo, acima de 5 g, de gengibre por dia pode causar alguns efeitos colaterais que incluem dor de estômago, alteração dos batimentos do coração, diarreia, e sonolência.

Quando não é indicado

O gengibre não é indicado para quem tem pedra da vesícula. Assim como também é contraindicado para quem possui doenças hemorrágicas ou que utilizam medicamentos anticoagulantes, porque o gengibre pode aumentar o risco de hemorragias nestes casos.

Pessoas que usam medicamentos para controle da pressão alta e da diabetes só devem consumir o gengibre sob a orientação de um médico, pois ele pode interferir com o efeito desses remédios, podendo causar pressão baixa e hipoglicemia.

Durante a gravidez, o consumo máximo de gengibre deve ser de 1g por dia e por um intervalo máximo de 3 dias seguidos. No entanto, o gengibre não deve ser consumido perto do trabalho de parto, pois pode aumentar o risco de sangramentos.

Esta informação foi útil?
Atualizado por Equipe Tua Saúde - em Novembro de 2021. Revisão clínica por Tatiana Zanin, Nutricionista - em Novembro de 2021.

Bibliografia

  • AKIMOTO Miho et al . Anticancer Effect of Ginger Extract against Pancreatic Cancer Cells Mainly through Reactive Oxygen Species-Mediated Autotic Cell Death. Plos One. 10. 5; 1-22, 2015
  • SAYED Sami et al. Article Ginger Water Reduces Body Weight Gain and Improves Energy Expenditure in Rats. Foods. 38. 9; 1-14, 2020
  • NICACIO, L, S, Gabriela et al. Breve Revisão sobre as propriedades fitoterápicas do Zingber Officinale Roscoe - o gengibre. Periódicos PUC Minas. Vol.7. 2.ed; 74-80 , 2018
  • BARRETO, C, Alice Maria et al. Efeitos do gengibre (Zingiber officinale) em pacientes oncológicos tratados com quimioterapia. Comunicação em Ciências da Saúde. Vol.22. 3.ed; 257-270, 2011
  • CONCEIÇÃO, Sara Figueirôa da Silva Martins. Efeitos do Gengibre, do Alho e do Funcho na Saúde. Dissertação de mestrado em Ciências Farmacêuticas, 2013. Universidade Fernando Pessoa.
  • MEDEIROS, O, N, B, Raquel. Estudo da aplicação na área da saúde do gengibre, sua caracterização química . Mestrado integrado e ciências farmacêuticas, 2017. Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz.
  • PRASAD Sahdeo et al. Ginger and Its Constituents: Role in Prevention and Treatment of Gastrointestinal Cancer. Gastroenterology Research and Practice. 1-11, 2015
  • JAKSEVICIUS Andrius et al. Inhibitory Effects of Culinary Herbs and Spices on the Growth of HCA-7 Colorectal Cancer Cells and Their COX-2 Expression. Nutrients. 9. 10; 1-22, 2017
  • DING, Mingshuang; et al. The effectiveness and safety of ginger for pregnancy-induced nausea and vomiting: A systematic review. Women Birth. 26. 1; e26-30, 2013
  • THOMSON Maggie et al. Effects of Ginger for Nausea and Vomiting in Early Pregnancy: A Meta-Analysis. The Journal of the American Board of Family Medicine. 27. 1; 115-122, 2014
  • ARABLOU Tahereh et al. The effect of ginger consumption on glycemic status, lipid profile and some inflammatory markers in patients with type 2 diabetes mellitus. International Journal of Food Sciences and Nutrition. 65. 4; 515-520, 2014
  • LETE iñaki et al. The Effectiveness of Ginger in the Prevention of Naus. Integrative Medicine Insights. 11. 11-17, 2016
  • CARVALHO, C, N, Gerdane et al . Efetividade do gengibre na redução de níveis metabólicos de pessoas com diabetes: ensaio clínico randomizado. Revista LAtino-Americana de Enfermagem. Vol.28. 3369.ed; 1-10, 2020
  • BARTELS, Else Marie et al. Efficacy and safety of ginger in osteoarthritis patients: a meta-analysis of randomized placebo-controlled trials. Elsevier. Vol.23. 1.ed; 13-21, 2015
  • PARK, Miri et al. Antibacterial activity of [10]-gingerol and [12]-gingerol isolated from ginger rhizome against periodontal bacteria. Phytotherapy Research . Vol.22. 11.ed; 1446-1449, 2008
  • LETE, Iñaki ; ALLUÉ, José. The Effectiveness of Ginger in the Prevention of Nausea and Vomiting during Pregnancy and Chemotherapy. Integrative Medicine Insights. 11. 11-17, 2016
  • CHANG, J. S.; et al. Fresh ginger (Zingiber officinale) has anti-viral activity against human respiratory syncytial virus in human respiratory tract cell lines. Journal of Ethnopharmacology. 145. 1; 145-151, 2013
  • HASANI, Hossein; et al. Does ginger supplementation lower blood pressure? A systematic review and meta‐analysis of clinical trials. Phytotherapy Research. 1-9, 2019
  • BODAGH Mehrmaz et al. Ginger in gastrointestinal disorders: A systematic review of clinical trials. Food Science & Nutrition. 7. 1; 96–108, 2019
Mais sobre este assunto: