Infarto ou ansiedade: principais diferenças e o que fazer

O infarto e a ansiedade podem apresentar sintomas semelhantes como dor no peito, falta de ar, tontura, batimento cardíaco acelerado ou excesso de suor, por exemplo. No entanto, existem diferenças entre essas situações, desde suas causas até mesmo sua intensidade e consequências.

A ansiedade é uma resposta temporária, natural e completamente normal do corpo a situações que causam muito estresse, no entanto, quando a ansiedade passa a ser muito frequente pode levar ao desenvolvimento do transtorno de ansiedade generalizada e o surgimento de crises de pânico que se assemelham com o infarto. Faça o teste online de sintomas de ansiedade.

Por outro lado, o infarto é uma situação que acontece quando a falta de sangue no coração acontece devido a um bloqueio das artérias coronárias por acúmulo de gorduras, causando lesões no coração, colocando a vida em risco. Assim, é importante conhecer as diferenças entre infarto ou ansiedade, e buscar ajuda médica imediatamente para identificar a causa dos sintomas e fazer o tratamento mais adequado.

Infarto ou ansiedade: principais diferenças e o que fazer

Como saber se é infarto ou ansiedade

Apesar de possuírem sintomas semelhantes, o infarto e a ansiedade apresentam alguma diferenças que devem ser levadas em consideração para uma melhor identificação da situação:

Infarto

Ansiedade

Dor ou pressão no peito, como se o coração estivesse sendo espremido

Dor no peito como se o coração estivesse sendo espetado

Dor muito forte que se espalha para o braço e/ou mão esquerdos, ombro ou maxilar

Dor mais localizada no peito mas que pode causar formigamento nos braços, mãos ou corpo todo

Sintomas se iniciam de repente, sem causa aparente ou durante esforço físico 

Sintomas se iniciam de repente, após um momento de grande estresse ou nervosismo, tendo sempre um motivo

Dor piora com o tempo

Dor melhora com o tempo, geralmente entre 20 a 30 minutos

Batimentos cardíacos fortes ou acelerados

Coração acelerado ou desconforto no peito que é difícil descrever

Sensação de tontura ou desmaio

Fraqueza ou tontura

Excesso de suor, incluindo suor frio

Excesso de suor

Falta de ar

Sensação de falta de ar

Náusea ou vômito

Dor de estômago ou náusea

Sensação de morte iminente

Sensação forte de medo

Apesar dos sintomas do infarto e da ansiedade serem semelhantes, é importante que não sejam confundidos, pois são situações com características diferentes que vão desde a sua causa até seu tratamento.

Assista o vídeo com o enfermeiro Manuel Reis que explica como identificar o infarto e a ansiedade:

O que causa o infarto?

O infarto acontece quando há falta de sangue no coração devido a um bloqueio nas artérias coronárias por acúmulo de gordura nas artérias. 

Alguns fatores podem contribuir para o desenvolvimento do infarto como o hábito de fumar, pressão alta, colesterol LDL alto ou HDL baixo, diabetes, obesidade e sedentarismo, além de história familiar de infarto ou de doenças cardíacas. Conheça outras causas de infarto e como evitar

O que causa a ansiedade?

As causas exatas da ansiedade ainda não são totalmente conhecidas. No entanto, é provável que seja uma combinação de fatores genéticos, como história familiar de ansiedade, fatores ambientais, como dificuldades no trabalho, problemas de relacionamento ou familiares, e de substâncias químicas no cérebro, que afetam áreas do cérebro responsáveis por controlar o medo.

A ansiedade é caracterizada por preocupação excessiva persistente e de difícil controle, medo irracional, aflição, preocupação excessiva e angústia devido à sensação de perigo e incerteza, sendo mais comum em doenças psiquiátricas.

O que fazer em caso de suspeita de infarto ou crise de ansiedade?

É importante procurar ajuda médica, o pronto socorro mais próximo ou ligar para o SAMU imediatamente caso a pessoa apresente os sintomas de infarto, pois pode colocar a vida em risco e o tratamento deve ser imediato.

Além disso, no caso de dúvida se é infarto ou ansiedade, deve-se sempre procurar ajuda médica imediatamente.

Como confirmar o diagnóstico

No caso de suspeita de infarto, o diagnóstico é feito no hospital através de avaliação dos sintomas, pressão arterial, pulso e temperatura, além de exames como eletrocardiograma e exame de sangue para medir a quantidade de enzimas e proteínas cardíacas.   

Já o diagnóstico de ansiedade é feito por um psicólogo ou psiquiatra através dos sintomas histórico familiar de ansiedade ou outros problemas psiquiátricos, além de exames laboratoriais para descartar outros problemas de saúde.

Como é feito o tratamento

O tratamento do infarto é feito inicialmente no hospital com o uso de uma máscara de oxigênio ou mesmo ventilação mecânica, uso de remédios como antiagregantes plaquetários, anticoagulantes venosos, nitratos, anti-hipertensivos, estatinas, analgésicos fortes, que atuam tentando regular a passagem de sangue para o coração. Em alguns casos, pode ser necessária a realização de um cateterismo de urgência, ou angioplastia, dependendo do tipo do infarto. Entenda melhor como é feito o tratamento do infarto.

Já o tratamento da ansiedade deve ser sempre orientado por um psicólogo e/ou um psiquiatra. Na maioria dos casos, o tratamento é feito com psicoterapia, para ajudar a identificar a razão da ansiedade e desenvolver ferramentas e/ou capacidades que ajudem a lidar com o estresse excessivo, e/ou o uso de medicamentos remédios indicados pelo psiquiatra como antidepressivos ou ansiolíticos. 

Além disso, existem opções de remédios caseiros para ansiedade, como o chá de camomila ou chá de erva-cidreira que podem ajudar a complementar o tratamento médico ou psicológico. Veja todas as opções de remédios caseiros para ansiedade

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • LU, L.; et al. Myocardial Infarction: Symptoms and Treatments. Cell Biochem Biophys. 72. 3; 865-7, 2015
  • ARORA, G.; BITTNER, V. Chest pain characteristics and gender in the early diagnosis of acute myocardial infarction. Curr Cardiol Rep. 17. 2; 5, 2015
  • DE HEER, Eric W.; et al. Chest pain, depression and anxiety in coronary heart disease: Consequence or cause? A prospective clinical study in primary care. Journal of Psychosomatic Research. 129. 109891; 1-21, 2020
  • SCHWARTZ, Julio; et al. Prevalence and Implications of Severe Anxiety in a Prospective Cohort of Acute Chest Pain Patients. Crit Pathw Cardiol. 14. 1; 44-47, 2015
Mais sobre este assunto: