12 sintomas de IST no homem e o que fazer

As infecções sexualmente transmissíveis (IST), anteriormente conhecidas como doenças sexualmente transmissíveis (DST), normalmente causam sintomas como coceira e secreção no pênis, aparecimento de feridas na região íntima ou ardor ao urinar.

Para identificar este tipo de infecção e prevenir complicações, é importante que homens com vida sexual ativa consultem o urologista pelo menos 1 vez ao ano, para que seja possível fazer uma avaliação do sistema reprodutor e, assim, possíveis doenças sejam tratadas rapidamente.

Por serem infecções transmitidas por via sexual, é importante que tanto o homem afetado como sua parceira ou parceiro sejam também tratados, para que a pessoa não volte a pegar a doença. Além disso, para evitar essas infecções, é importante ter relações sexuais protegidas com o uso de preservativo. Veja como colocar a camisinha masculina corretamente.

12 sintomas de IST no homem e o que fazer

1. Coceira

A coceira é muito frequente em IST’s como o herpes genital, a proctite ou a pediculose pubiana e está, normalmente, associada a infecções.

O herpes genital é uma infecção localizada na zona genital que, além da coceira, também pode provocar sintomas como vermelhidão, dor ou ardor e bolhas, que depois passam a ser feridas. 

Já a proctite é uma inflamação do reto e do ânus, que pode ser causada por infecções, e a pediculose pubiana, uma infecção causada por um parasita conhecido popularmente como "chato" e que, além da coceira, pode causar feridas e corrimento. Saiba mais sobre os chatos e principais sintomas

2. Vermelhidão

A vermelhidão na pele é um sintoma comum em infecções como o herpes genital, o HIV, a infecção por citomegalovírus ou a pediculose pubiana.

O HIV é um vírus que destrói o sistema imunitário da pessoa e, embora numa fase inicial a pessoa possa não apresentar sintomas, um dos sintomas provocados pela infecção é a vermelhidão em lesões de pele, que pode estar associada a outros sintomas como cansaço, perda de peso, febre e ínguas doloridas.

A vermelhidão também pode ser um sintoma da infecção por citomegalovírus, que pode apresentar outros sintomas como febre e pele e olhos amarelos, no entanto o desenvolvimento da infecção acontece na maioria das vezes quando o sistema imunológico está mais enfraquecido. Saiba mais sobre a infecção pelo citomegalovírus.

3. Dor

A dor causada pelas infecções sexualmente transmissíveis depende do local onde a infecção se manifesta. O herpes genital causa, normalmente, dor no pênis, a gonorreia e a infecção genital por clamídia, causam dor nos testículos e a proctite provoca dor no reto.

A gonorreia e a infeção por clamídia são infecções causadas por bactérias e apresentam outros sintomas como corrimento e dor ou queimação ao urinar.

4. Bolhas

As bolhas, ou vesículas, podem aparecer em infecções como o herpes genital, o molusco contagioso, o HPV, o linfogranuloma venéreo ou a pediculose pubiana.

O molusco contagioso é uma infecção viral que causa bolhas rosadas ou de coloração branco pérola. Por outro lado, o linfogranuloma venéreo é caracterizado por ser uma infecção bacteriana que provoca bolhas que depois evoluem para feridas.

As bolhas que surgem no HPV são conhecidas como verrugas e apresentam forma semelhante a uma pequena couve-flor. Conheça outros sintomas de HPV no homem e como se pega.

Infecção por HPV
Infecção por HPV

5. Feridas no órgão genital

As feridas nos órgãos genitais são comuns em infecções como o herpes genital, o HPV, a sífilis, o linfogranuloma venéreo, a proctite e a pediculose pubiana, mas também podem estar presentes na boca ou na garganta caso tenha havido contato dessas regiões com as secreções da parceira ou parceiro infectado.

A sífilis é uma infecção causada por uma bactéria, que leva ao aparecimento de feridas no pênis, região escrotal e virilha, em alguns casos, e que pode levar ao aparecimento de outros sintomas como cansaço, febre e ínguas doloridas. Veja mais sobre o que é a sífilis e os principais sintomas.

6. Corrimento

A presença de corrimento também pode ser indicativa de IST 's, principalmente de infecções como gonorreia, clamídia, proctite ou tricomoníase.

No caso da gonorreia, pode ser notada a presença de corrimento amarelado parecido com pus e, caso tenha havido contato oral ou anal com a pessoa infetada, podem surgir dor na garganta e inflamação no ânus, por exemplo.

A tricomoníase é uma IST provocada por um protozoário, o Trichomonas sp., e que pode causar, além do corrimento, dor e ardor ao urinar e coceira no pênis. Saiba mais sobre a tricomoníase.

7. Dor ou queimação ao urinar

A sensação de dor ou queimação ao urinar normalmente é sintoma de uma infecção urinária, mas também podem ser indicativos de doenças sexualmente transmissíveis, como gonorreia, clamídia ou tricomoníase.

Este tipo de sintoma também pode ser associado à infecção por herpes genital, mas isso normalmente acontece quando as bolhas se encontram próximas da uretra. Também é comum haver dor ou ardor ao defecar na presença de uma infecção por herpes genital, caso as bolhas se encontrem próximas no ânus.

12 sintomas de IST no homem e o que fazer

8. Cansaço excessivo

Nem sempre os sintomas de IST’s estão relacionados a alterações na região genital, como é o caso da infecção pelo HIV, da hepatite B e da sífilis, em que um dos principais sintomas é o cansaço excessivo e sem causa aparente.

O HIV é uma doença que afeta o sistema imune e, por isso, podem surgir outras doenças uma vez que a proteção imunológico se encontra baixa. A hepatite B, apesar de ser adquirida através da relação sexual desprotegida, tem como principal consequência o dano ao fígado, aumentando o risco de cirrose e câncer hepático.

9. Feridas na boca

As feridas na boca podem surgir se existir contato entre a boca e as secreções da região infectada da parceira ou parceiro infectado. Além das feridas na boca, podem surgir outros sintomas como dor de garganta, placas esbranquiçadas nas bochechas, gengivas e garganta.

Feridas por herpes
Feridas por herpes

10. Febre

A febre é uma defesa normal do corpo e, por isso, é o principal sintoma associado a qualquer tipo de infecção, incluindo as infecções sexualmente transmissíveis como o HIV, a hepatite B, a infecção por citomegalovírus ou a sífilis.

A febre pode ser alta, mas em muitos casos, as IST's causam uma febre baixa constante, que pode ser confundida com uma gripe ou resfriado, por exemplo.

11. Icterícia

A icterícia é um sintoma caracterizado pela pele e olhos amarelos, que acontece em IST’s como a hepatite B e a infecção por citomegalovírus. Entenda o que causa icterícia e como tratar.

12. Ínguas doloridas

A presença de ínguas doloridas, assim como a febre, é outro sintoma muito comum que indica a presença de algum tipo de infecção no corpo, como as IST’s, por exemplo a sífilis ou o HIV.

Na sífilis, o local onde as ínguas normalmente aparecem é a virilha, no entanto, o HIV pode provocar o aumento dos gânglios linfáticos em vários locais do corpo.

O que fazer em caso de suspeita

Caso exista suspeita de alguma IST é recomendado ir ao médico para que possam ser feitos todos os exames necessários para identificar a IST correta e iniciar o tratamento mais adequado.

No caso de infecções causados por vírus, pode ser recomendado o uso de medicamentos antivirais para combater o agente infeccioso e, assim, aliviar os sintomas. Em alguns casos, principalmente quando a infecção compromete o sistema imunológico, pode ser também indicado o uso de antibióticos como forma de prevenir infecções secundárias.

No caso das infecções causadas por bactérias, o tratamento recomendado pelo médico é com antibióticos, que podem variar de acordo com a bactéria relacionada com a infecção. Já no caso de pediculose pubiana, por exemplo, pode ser indicado o uso de medicamentos antiparasitários em forma de pomada ou cremes.

Além disso, durante o tratamento, é recomendado evitar relações sexuais, além de ser de extrema importância fazer o tratamento conforme a orientação do médico, mesmo que não existam mais sintomas aparentes.

Confira no vídeo a seguir uma conversa com o Dr. Dráuzio Varella sobre as principais infecções sexualmente transmissíveis e o que fazer para prevenir e curar a infecção:

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • APF. HIV/SIDA. 2015. Disponível em: <http://www.apf.pt/sites/default/files/media/2015/hiv.pdf>. Acesso em 13 Jan 2021
  • Superintendência de Atenção Primária. Doenças Sexualmente Transmissíveis . 2013. Disponível em: <http://subpav.org/download/prot/destaque/APS_DST_final_completo.pdf>.
  • SNS24. Vírus da hepatite B (VHB). Disponível em: <https://www.sns24.gov.pt/tema/doencas-infecciosas/vhb/>. Acesso em 14 Jan 2021
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE DO BRASIL. Manual Clínico de Alimentação e Nutrição Na Assistência a Adultos Infectados pelo HIV. 2006. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_alimentacao_nutricao.pdf>. Acesso em 14 Jan 2021
  • DEPARTAMENTO DE DOENÇAS DE CONDIÇÕES CRÔNICAS E INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE. Linfogranuloma venéreo (LGV). Disponível em: <http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/o-que-sao-ist/linfogranuloma-venereo-lgv>. Acesso em 14 Jan 2021
  • APF. Herpes genital. Disponível em: <http://www.apf.pt/infecoes-sexualmente-transmissiveis/herpes-genital-0>. Acesso em 13 Jan 2021
  • APF. Pediculose púbica. Disponível em: <http://www.apf.pt/infecoes-sexualmente-transmissiveis/pediculose-pubica>. Acesso em 14 Jan 2021
  • SOCIEDADE PORTUGUESA DE GINECOLOGIA. Revisão dos Consensos em Infecções Vulvovaginais. 2012. Disponível em: <http://www.spginecologia.pt/uploads/revisao_dos_consensos_em_infeccoes_vulgovaginais.pdf>. Acesso em 13 Jan 2021
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêut icas (PCDT). 2015. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolo_clinico_diretrizes_terapeutica_atencao_integral_pessoas_infeccoes_sexualmente_transmissiveis.pdf>. Acesso em 14 Jan 2021
  • SOCIEDADE PORTUGUESA DE DERMATOLOGIA E DE VENEREOLOGIA. Grupo para o Estudo e Investigação das Doenças Sexualmente Transmissíveis. Disponível em: <https://www.spdv.pt/_grupo_para_o_estudo_e_investigacao_das_doencas_sexualmente_transmissiveis>. Acesso em 14 Jan 2021
  • FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA. Infeções Sexualmente Transmissíveis em consulta de Venereologia – um estudo retrospetivo. 2016. Disponível em: <https://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/25940/1/AnaCCCust%C3%B3dio.pdf>. Acesso em 13 Jan 2021
  • ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Diagnóstico laboratorial de doenças sexualmente transmissíveis, incluindo o vírus da imunodeficiência humana. 2013. Disponível em: <https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/85343/9789241505840_por.pdf?sequence=7&isAllowed=y>. Acesso em 13 Jan 2021
  • ADA. Infecção por citomegalovírus. Disponível em: <https://ada.com/pt/conditions/cytomegalovirus-infection/>. Acesso em 13 Jan 2021
  • APF. Hepatite B. Disponível em: <http://www.apf.pt/infecoes-sexualmente-transmissiveis/hepatite-b>. Acesso em 14 Jan 2021
  • Superintendência de Atenção Primária. Guia de Referência Rápida: Infecção pelo HIV e AIDS Prevenção, Diagnóstico e Tratamento na Atenção Primária. 2015. Disponível em: <http://subpav.org/download/prot/GuiadeReferenciaRepidaemHIV_AIDS_versaoGUIA_miolo.pdf>.
Mais sobre este assunto: