Como deve ser a alimentação para doença de Crohn

A dieta para a doença de Crohn é um dos passos mais importantes do tratamento, já que alguns alimentos podem piorar os sintomas, devendo por isso ser evitados. Por essa razão, também se deve, sempre que possível, preferir opções saudáveis e variadas para evitar deficiências nutricionais.

Geralmente, pessoas com doença de Crohn apresentam períodos de sintomas gastrointestinais intensos, como diarreia, vômitos, náuseas, dor abdominal, alterações no paladar, prisão de ventre e perda de apetite, que podem resultar em desnutrição. Veja como identificar a síndrome de Crohn.

De forma genérica é importante que a dieta para esta doença seja pobre em alimentos ricos em açúcares e bebidas com cafeína porque os açúcares e a cafeína irritam o intestino e podem aumentar os sintomas da doença de Crohn.

Como deve ser a alimentação para doença de Crohn

O que comer na doença de Crohn

A doença de Crohn é um problema de saúde no qual existe uma inflamação constante do intestino, interferindo na absorção dos nutrientes. O grau de má absorção depende de quanto o intestino foi afetado ou se parte dele já foi removido devido à doença.

Por isso, o objetivo da alimentação na doença de Crohn é evitar a irritação do intestino e a desnutrição, favorecer, dentro do possível, a absorção de nutrientes, aliviar os sintomas, evitar novas crises e melhorar a qualidade de vida da pessoa através de uma alimentação natural.

1. Alimentos permitidos

Alguns alimentos permitidos na dieta são:

  • Arroz, purês, macarrão e batata;
  • Carnes magras, como carne de frango;
  • Ovo cozido;
  • Peixes como sardinha, atum ou salmão;
  • Legumes cozidos, como cenoura, aspargo e abóbora;
  • Frutas cozidas e sem casca, como banana e maçã;
  • Produtos lácteos, desde que a pessoa não seja intolerante à lactose;
  • Abacate e azeite de oliva.

Além de consumir esses alimentos, é recomendado realizar suplementação de ômega 3 para ajudar a diminuir a inflamação e, dependendo do risco nutricional, podem ser também indicadas algumas vitaminas e minerais como cálcio, ácido fólico, vitamina B12, ferro e vitaminas A, D, E e K.

Além disso, o uso de probióticos e glutamina, também pode ajudar a melhorar o funcionamento do intestino, no entanto, todos esses suplementos devem ser prescritos pelo médico ou pelo nutricionista.

Algumas pessoas, além da doença de Crohn, possuem intolerância à lactose e/ou intolerância ao glúten e, nesses casos, essas pessoas também devem evitar esses alimentos e, no caso de não ter essas intolerâncias, é possível consumir macarrão e produtos lácteos desnatados em pequenas porções.

Como deve ser a alimentação para doença de Crohn

2. Alimentos que devem ser evitados

Os alimentos que devem ser evitados porque podem irritar o trato gastrointestinal e agravar os sintomas são:

  • Café, chá preto, refrigerantes com cafeína;
  • Sementes;
  • Verduras cruas e frutas com casca;
  • Mamão, laranja e ameixa;
  • Mel, açúcar, sorbitol ou manitol;
  • Frutos secos, como amendoim, nozes e amêndoas;
  • Aveia;
  • Chocolate;
  • Bebidas alcoólicas;
  • Carne de porco e outras carnes gordurosas;
  • Biscoitos amanteigados, doces com massa folhada, chocolate;
  • Frituras, gratinados, maionese, refeições congeladas industrializadas, manteigas e creme de leite.

Estes alimentos são apenas alguns exemplos que, na maioria das pessoas com doença de Crohn, podem piorar os sintomas da doença, no entanto os alimentos podem variar de uma pessoa para outra.

Por isso, é importante identificar quais são os alimentos relacionados com a piora dos sintomas e comunicar ao nutricionista, dessa forma é possível evitar novas crises e deficiências nutricionais, já que o alimento responsável pelos sintomas pode ser trocado por outro com as mesmas propriedades nutricionais.

Assista outras dicas de alimentação para controlar os sintomas no vídeo a seguir:

Cardápio para doença de Crohn

A tabela a seguir indica um cardápio de 3 dias para a doença de Crohn:

RefeiçõesDia 1

Dia 2

Dia 3
Café da manhãOvo mexido com torrada + suco de fruta coado e diluído em águaBebida de arroz com torradas + suco de fruta coado e diluído em águaFatia de pão com ovo cozido + suco de fruta coado e diluído em água
Lanche da manhãBanana cozida com canelaMaçã cozida sem casca e com canelaPêra cozida sem casca e com canela
Almoço/ JantarPeito de frango sem pele com purê de batata e abóbora aos cubos, com um pouco de azeite.Salmão grelhado com arroz e salada de cenoura com um pouco de azeite.Peito de peru sem pele com purê de abóbora com salada de cenoura cozida e ervilhas, com um pouco de azeite.
Lanche da tardeGelatinaBanana cozida com canelaTorrada com doce de maçã

A dieta para doença de Crohn varia de pessoa para pessoa porque a sensibilidade pode aumentar a qualquer momento e mesmo os alimentos que eram consumidos habitualmente podem ter que ser eliminados da alimentação por um período, por isso, é necessário adequar a dieta de acordo com cada paciente e o aconselhamento com um nutricionista ou nutrólogo é fundamental.

Outras recomendações importantes

Pessoas com doença de Crohn devem fazer várias pequenas refeições durante o dia, evitando ficar muito tempo sem comer para que o intestino mantenha uma atividade regular. Além disso, é muito importante mastigar bem os alimentos para ajudar no processo digestivo, diminuindo as chances de irritação intestinal.

Além disso, é importante mastigar bem os alimentos para ajudar no processo digestivo e, de preferência, em um ambiente tranquilo. Também devem ser evitados alimentos que possam agravar os sintomas, limitar o consumo de fibra e de alimentos ricos em gordura.

Para diminuir o conteúdo de fibra das frutas e vegetais, pode-se tirar a casca, cozinhar e fazer tipo um purê. Os alimentos devem ser cozinhados com temperos naturais, devendo ser preparados grelhados, cozidos ou no forno.

Como a doença de Crohn pode causar diarreia, é importante manter a hidratação através do consumo de água, água de coco e suco de frutas diluídos com água e coados para evitar a desidratação.

É importante consultar o nutricionista regularmente, já que pode ser necessário realizar algumas mudanças na dieta para evitar má-nutrição e aliviar o sintomas da doença.

Esta informação foi útil?
Atualizado por Manuel Reis, Enfermeiro - em Janeiro de 2021. Revisão clínica por Tatiana Zanin, Nutricionista - em Janeiro de 2021.

Bibliografia

  • LUTZ, Carrol; PRZYTULSKI, Karen. Nutrición y dietoterapia. 5.ed. México: McGraw Hill, 2011. 425-427.
  • MAHAN, L. Kathleen et al. Krause: Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 13.ed. São Paulo: Elsevier Editora, 2013. 628-636.
Mais sobre este assunto: