7 principais transtornos alimentares

Os transtornos alimentares são caracterizados por alterações na forma de se alimentar,  o que normalmente ocorre devido a uma preocupação excessiva com o peso e a aparência do corpo. Assim, é possível que a pessoa fique várias horas sem se alimentar, faça uso frequente de laxantes e evite sair para comer em locais públicos, por exemplo.

Os transtornos alimentares podem trazer consequências graves para a saúde, como problemas nos rins, no coração e até morte, já que pode haver falta ou excesso de nutrientes, dependendo do transtorno alimentar, o que pode interferir no funcionamento de alguns órgãos. De forma geral, surgem com mais frequência nas mulheres, especialmente durante a adolescência, e costumam estar ligados a problemas como ansiedade, depressão e uso de drogas.

Na presença de sinais indicativos de transtorno alimentar, é importante que a pessoa seja acompanhada por um psicoterapeuta e por um nutricionista, pois assim é possível iniciar o tratamento mais adequado e de forma saudável. É essencial que durante o tratamento de qualquer distúrbio alimentar se tenha o apoio da família para que o paciente entenda sua condição e colabore para superar o problema. Se possível, todos em casa devem se esforçar para ter hábitos de vida saudáveis, como alimentação equilibrada e prática regular de atividade física.

7 principais transtornos alimentares

1. Anorexia

A anorexia ou anorexia nervosa é um distúrbio no qual a pessoa vê seu corpo sempre com excesso de peso, mesmo que ela esteja claramente com baixo peso ou desnutrida. Existe um medo intenso de ganhar peso e uma obsessão para emagrecer, sendo a sua principal característica a rejeição a qualquer tipo de comida.

Principais sintomas: olhar no espelho e se sentir gordo, não comer para não engordar, contar as calorias da refeição antes de comer, evitar comer em público, fazer exercícios em excesso para emagrecer e tomar remédios para emagrecer. Faço o teste para saber se é anorexia.

Tratamento: a base do tratamento da anorexia é a psicoterapia, que irá ajudar a melhorar o comportamento em relação à comida e ao próprio corpo, podendo ser necessário o uso de medicamentos contra a ansiedade e depressão. Além disso, deve haver um acompanhamento nutricional para orientar uma alimentação saudável e o uso de suplementos alimentares para suprir a carência de nutrientes do organismo.

2. Bulimia

A bulimia é caracterizada por episódios frequentes de compulsão alimentar, nos quais há um consumo de grandes quantidades de comida, seguido de comportamentos compensatórios como forçar o vômito, usar laxantes ou diuréticos, ficar sem comer e praticar exercícios em excesso para tentar controlar o peso.

Principais sintomas: inflamação crônica na garganta, refluxo gástrico, cáries e sensibilidade nos dentes, praticar muito exercícios físico, comer grandes quantidades escondido, desidratação e problemas gastrointestinais.

Tratamento: também é feito com acompanhamento psicológico para reverter o comportamento em relação à comida e acompanhamento nutricional, para se ter orientações sobre a adequação da dieta e do equilíbrio dos nutrientes. Além disso, pode necessário o uso de medicamentos para ansiedade e para controlar os vômitos. Veja mais sobre o tratamento da bulimia.

3. Compulsão alimentar

A principal característica da compulsão alimentar são episódios frequentes de comer exageradamente, mesmo quando não se tem fome. Existe uma perda do controle sobre o que se comer, mas não existe comportamentos compensatórios como vômitos ou uso de laxantes.

Principais sintomas: comer exageradamente até quando não se tem fome, dificuldade para parar de comer, comer muito rápido, consumir alimentos estranho como arroz cru ou feijão gelado, excesso de peso.

Tratamento: deve-se fazer um acompanhamento psicológico para ajudar a identificar as causas dos episódios de compulsão alimentar e reaver o controle sobre a comida. Também costuma ser necessário acompanhamento nutricional para controlar o peso e prováveis problemas de saúde decorrentes do transtorno, como colesterol alto e gordura no fígado.

4. Ortorexia

Ortorexia é a preocupação exagerada com o que se come, levando a uma obsessão para sempre comer de forma certa, com alimentos saudáveis e extremo controle de calorias e qualidade.

Principais sintomas: estudar muito sobre alimentação saudável, evitar alimentos processados ou ricos em gorduras ou açúcar, evitar comer fora de casa, comer sempre produtos orgânicos, planejar rigorosamente as refeições.

Tratamento: inclui acompanhamento médico e psicológico, a fim de melhorar a relação com a comida e mostrar ao paciente que ele pode ser saudável mesmo sem restringir tanto sua alimentação. Veja mais detalhes sobre a ortorexia.

5. Vigorexia

A vigorexia, também conhecida como transtorno dismórfico muscular ou Síndrome de Adonis, é caracterizada por uma obsessão para ter o corpo perfeito, levando à prática exagerada de exercícios físicos.

Principais sintomas: cansaço extremo, irritabilidade, uso exagerado de suplementos alimentares, prática de exercícios físicos até a exaustão, preocupação exagerada com a alimentação, insônia e dor muscular.

Tratamento: é feito com psicoterapia, com o objetivo de fazer o indivíduo aceitar seu corpo e aumentar a sua autoestima, além de acompanhamento nutricional para uma orientação adequada em relação ao uso de suplementos e para a prescrição de uma alimentação adequada para os treinos.

6. Síndrome de Gourmet

A Síndrome de Gourmet é um distúrbio raro caracterizado por uma preocupação excessiva em relação à preparação do alimento, desde a compra dos ingredientes até a forma que ele será servido no prato.

Principais sintomas: consumo frequente de pratos exóticos ou especiais, preocupação excessiva com a qualidade dos ingredientes comprados, passar muito tempo na cozinha, ter muito cuidado ao preparar os alimentos, servir sempre pratos bem decorados.

Tratamento: é feito principalmente com psicoterapia, mas quando a síndrome leva ao excesso de peso, também é necessário o acompanhamento com nutricionista.

7. Transtorno alimentar noturno

O transtorno alimentar noturno, também conhecido como síndrome do comer noturno, é caracterizado pela falta de apetite durante a manhã, compensada por uma grande ingestão de comida durante a noite, que é acompanhada de insônia.

Principais sintomas: acordar à noite para comer, não sentir fome ou comer pouco durante o dia, nem sempre lembrar que comeu muito durante a noite, ter excesso de peso.

Tratamento: é feito com psicoterapia e uso de medicamentos para regular o sono e, quando necessário, antidepressivos.

Esta informação foi útil?
Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde em Agosto de 2021. Revisão clínica por Tatiana Zanin, Nutricionista em Agosto de 2021.
Mais sobre este assunto: